Orientação Vocacional

Orientação Vocacional

A vocação do religioso irmão é uma resposta ao chamado divino que intui no coração do vocacionado o desejo de escolher por uma vida de doação aos irmãos, no seguimento de Jesus que dedicou-se de preferência aos pobres e excluidos da sociedade.  Seguindo a mesmo intituição de Cristo, nosso fundador decidiu fundar a nossa Congregação. Portanto, é em nome de Jesus e por seu mandato que nós, Irmãos da Misericórdia, continuamos essa missão na Igreja, a qual, se expressa pelo cuidado com a pessoa humana em todas as suas dimensões.


Ao jovem que deseja se consagrar a Deus como Irmão da Misericórdia, será oferecido um processo de crescimento espiritual, humano e apostólico, de forma a prepará-lo para assumir conosco a missão da Congregação.


Todo processo vocacional da pessoa que ingressa em nossa Congregação se dá por etapas:


ACOMPANHAMENTO VOCACIONAL

Após contato inicial do jovem conosco, inicia-se um tempo de discernimento, o qual acontece por meio de contatos telefônicos, email's, cartas, visitas e muito diálogo. Ao longo desse período o jovem conhece de forma breve a Congregação e também conhecido por ela. Concluído o acompanhamento  e o jovem sendo aprovado, será acolhido no Postulantado.


POSTULANTADO

O Postulantado é um tempo de maior conhecimento do candidato em relação à Congregação e deste em relação ao candidato. Tem duração mínima de 1 ano, no entanto, é a caminhada do jovem que vai determinar o tempo a sua conclusão ou continuação. Será um período marcado pelo início do autoconhecimento sob a ótica espiritual e humana, no qual, sob a orientação do Formador, o Postulante vai caminhando e sendo acompanhado. Nesse tempo lhe será propostas atividades se estudos e práticas no sentido de inseri-lo no ambiente da vida religiosa. Findo o período do Postulantado, o jovem sendo aprovado, será admitido no Noviciado.


NOVICIADO

O Noviciado é um tempo de profunda escuta e recolhimento. Com duração de dois anos, nos quais, o noviço, sob a orientação do Mestre de Noviços, inicia a vivencia prática da vida religiosa. Dividido em primeiro e segundo ano, cada um destes terá sua dinâmica e proposta educativa próprias, numa integração de conteúdos e vivências práticas de estágios,  unindo teoria-prática, ação-reflexão-ação. Concluído o noviciado, o noviço é convidado para emitir os primeiros votos, tornando-se um religioso Irmão da Misericórdia, a partir daqui passa para uma nova etapa, a qual denominamos Juniorato.


JUNIORATO

Tendo proferido os votos de Pobreza, Castidade e Obediência, o jovem irmão é enviado para uma comunidade religiosa, na qual, vivenciará sua vida religiosa com outros co-irmãos de comunidade. Será acompanhado por um irmão mais experiente, que o auxiliará na continuidade do seu processo de formação. O Juniorato tem duração mínimo de 5 anos. Findo esse período, se aprovado, fará a Profissão Perpétua, confirmando para sempre sua consagração a Deus na Congregação.


FORMAÇÃO CONTINUADA

Ressaltamos que a formação não acaba com os votos perpétuos, mas somente com o término da caminhada terrena, enquanto isso, somos convidados pela Congregação a continuar nossa formação espiritual, humana e apostólica, por meio de espaços de formação nessas dimensões, de forma a nos prepararmos cada vez melhor para servir aos destinatários da nossa missão.

Atuação do Irmão


Não somos pessoas prontas, nunca estaremos, mas, pessoas em constante processo de crescimento e desenvolvimento. Em toda nossa vida existe a possibilidade de nos desenvolvermos, no entanto, para ser admitido na Congregação, algumas características são importantes identificar no jovem:


* Acolher cada etapa educativa-formativa como tempo de crescimento e não como mero cumprimento de fases

* Sentir alegria no relacionamento com Deus

* Desejar viver a vida comum com outras pessoas que Deus pos em meu caminho

* Ter interesse pela vida espiritual

* Ser aberta ao mundo, ser otimista e alegre

* Estar aberto entrar no processo de humanização com toda a sua dinâmica educativa

* Ser aberto a mudanças

* Disposição ao diálogo 

* Sentir bem entre as pessoas, sobretudo aquelas menos oferecidas e que nada tem a nos oferecer em troca

* Ter disponibilidade para estar junto aos doentes, idosos, pobres, deficientes

* Estar disposto a se transformar no amor de Deus e acolher os seus desígnios por meio da Congregação

* Ter facilidade de conviver em grupo, e abertura para superar conflitos

* Estar aberto às orientações dos responsáveis pela Formação


O que fazer


Em relação à vida consagrada, pretendo...
Minha família...
Eu...
Já conheci outra congregação como: